RESISTÊNCIA

Não podemos salvar o mundo, mas não precisamos ser como ele.


No último sábado dia 2 de Abril, realizamos mais uma edição do nosso evento, agora chamado "Tarde Recreativa". 
Como sempre, contamos com a ajuda dos amigos da Igreja Evangélica Arca com seu apoio no local, e a Igreja Menonita Nova Aliança, que nos emprestou os obstáculos de skate outra vez. Não posso deixar de agradecer à direção da Escola Municipal Rudi Heinrichs, que gentilmente nos emprestou o espaço para a realização do evento.

Por que fazemos tudo isso?
Nossa luta é contra a violência, drogas, injustiças sociais e pobreza espiritual. Escolhemos atuar no bairro Guarituba, na cidade de Piraquara-PR. Nossas armas são as artes e os esportes. 
Nosso ideal não é convencer as pessoas a aderirem nossa religião ou se filiarem a uma igreja qualquer. Mais do que isso, buscamos fazer com que as pessoas conheçam o seu valor. Todos precisam saber que são importantes.

Abaixo, mato dois coelhos com apenas um golpe. Além de servir como um reporte do evento a quem possa interessar, também aproveito para agradecer os amigos e parceiros que colaboraram para que isto fosse possível.


Tudo começou com uma oficina de História em Quadrinhos. A professora foi Gabe Fontes, designer e ilustradora. Foram sete alunos ao todo. Todos eles se divertiram muito com a experiência.


A talentosa fotógrafa Rosani Polswut ficou responsável pela oficina de Fotografia, onde seis alunos tiveram sua primeira experiência com uma câmera profissional.


Também contamos com a ajuda matadora do Angels Crew, um experiente grupo de dança de São José dos Pinhais. Os dez alunos desta oficina de Street Dance jamais esquecerão da experiência que tiveram.


A roda de capoeira ficou por conta de Neto, Denise e família. A habilidade e carisma foram refletidos no amplo domínio da atenção das crianças. Eu contei vinte participantes, mas há quem diga que foram mais.


No mínimo vinte crianças/adolescentes passaram por nossa Ludoteca. Rodrigo Carlos, dono de uma paciência invejável, foi o responsável por receber e ensinar os jogos a cada um dos participantes. 


Emerson Silva também foi um parceiro valioso para a realização deste evento. Além de nos ajudar com transporte e logística, também recepcionou todos os participantes e professores do evento.


Também rolou uma pista de skate, com um par de caixotes para as manobras. O responsável foi Diego Gaspar. O membro mais antigo da Resistência também foi fundamental durante a organização do evento.

Eu agradeço  pela dedicação de cada um dos parceiros. Juntos, podemos mostrar para essas crianças e adolescentes que eles valem muito mais do que o mundo sugere.
Para conferir todas as fotos do evento, basta acessar o álbum em nossa fanpage.

Tarde Recreativa - Abril de 2016


Tudo começou em meados de 2014 quando eu levei para a Ludoteca Resistência o primeiro RPG. Era a lata do Shotgun Diaries, publicado no Brasil pela Redbox Editora.
Um RPG de sobrevivência ao apocalipse zumbi. Mais do que isso, um RPG de ritmo frenético e regras simples, que permitem que os jogadores narrem algumas das cenas. A principal razão pela escolha do título foi a facilidade com que se prepara suas aventuras. Em alguns casos, dispensa-se qualquer preparo, podendo criar tudo na hora, junto com os jogadores.
O resultado: mais de dez adolescentes entre 12 e 15 anos tendo sua primeira experiência com o RPG. Todos eles ficaram impressionados com as possibilidades que o jogo trazia. Todos eles pediam para que o jogo voltasse as mesas da Ludoteca todas as semanas. Isso não foi possível, é claro.
Na época, eu era o único monitor do projeto que sabia como conduzir uma mesa de RPG, o que tornou inviável para mim mestrar todas as semanas, já que eu precisava monitorar as demais mesas do projeto respondendo as dúvidas dos jogadores sobre mais de quinze jogos diferentes.
Depois disso, tivemos algumas oportunidades de jogar novamente, dessa vez utilizando o Old Dragon, também da Redbox Editora. Ele possui uma possibilidade maior de criação de personagens, o que deixou os jogadores ainda mais fascinados.
Tudo mudou com entrada de um amigo meu no projeto. Um velho companheiro de mesas de RPG resolveu se juntar ao time, se voluntariando todas as semanas. Mestrou algumas aventuras, todos tiveram a oportunidade de experimentar o RPG. Alguns revisitavam o jogo, outros finalmente o conheciam. Foi então que ele me apareceu com a ideia: "E se a gente fizesse algo frequente. Inspirado na Adventure's League do D&D?". Assim nascia a IRMANDADE

Emerson mestrando a primeira mesa da IRMANDADE.
Juntamos todos os adolescentes do projeto (e alguns monitores também) interessados em embarcar em sua primeira campanha de RPG, onde seus personagens se tornariam heróis do cenário, podendo influenciar na história da maneira que quisessem. Ao todo quinze jogadores, divididos em quatro mesas. Eu assumi duas delas e meu companheiro de projeto cuidou das outras duas. Todos os meses reunimos nossos jogadores ao menos uma vez para seguir com a campanha. Todas as mesas se passam no mesmo cenário criado por nós mesmos para utilizar no projeto.

Adotamos miniaturas de papel: uma solução barata para incrementar todas as mesas.
Agora, os jogadores precisam criar seus personagens, escrever os backgrounds e interpretar sem o "off". Além disso, nos valemos de uma das características mais marcantes dos RPG old school: as aventuras são mortais. Se o time não trabalhar em equipe, alguém irá perder o personagem.
É impressionante assistir alguns jogadores mais tímidos, que não costumam conversar com ninguém, se soltando nas mesas e interpretando seus personagens como verdadeiros guerreiros. Mais impressionante ainda é a criatividade empregada nos backgrounds de cada personagem. Todos eles foram escritos sem a ajuda dos monitores. Alguns ficaram tão bacanas que serão incorporados oficialmente em nosso cenário.
Com as mesas de Old Dragon, estamos enxergando nos adolescentes os benefícios que todo jogador de RPG sempre conheceu bem: criatividade, interação, trabalho em equipe, socialização, etc.

Hora do combate!
Tudo começou com um sonho:  o RPG não precisa, mas PODE se tornar uma ferramenta de mudança social. Temos visto isso acontecer na prática todos os meses em um bairro humilde de Piraquara-PR.
Aos companheiros que moram nos entornos fica o convite: precisamos de mais mestres que se disponham a nos ajudar. Aos demais fica o pedido: ajudem esse relato a se espalhar entre os RPGistas de todo o Brasil. Qualquer hobby pode ser usado para o bem, basta ter um pouco de criatividade, que é o que todo jogador e mestre de RPG tem de sobra.

RPG na Ludoteca Resistência


Nosso principal projeto é a Ludoteca Resistência, onde fazemos um trabalho de prevenção as drogas e a violência com crianças e adolescentes. Para saber mais sobre o projeto CLIQUE AQUI.
Atendendo a pedidos de alguns amigos e parceiros, criamos esta postagem com o objetivo de informar as maiores necessidades para se manter o projeto em funcionamento. Abaixo, seguem algumas das maneiras pelas quais você pode colaborar. 

Esta postagem será sempre atualizada com as necessidades do projeto.
Se puder e desejar se envolver de alguma forma, entre em CONTATO conosco.

AMPLIAÇÃO DO CATÁLOGO

Precisamos aumentar o nosso catálogo de jogos. Nossa maior procura é pelos party games ou euros com uma complexidade de regras mais baixa. Buscamos títulos com partidas que durem menos de uma hora. Também buscamos títulos mais amigáveis aos pequenos, já que muitas crianças frequentam a ludoteca e temos uma carência grande de jogos para eles.
Não estamos limitados a estes títulos ou gêneros mas, para facilitar a vida daqueles que desejam doar algum jogo, seguem abaixo algumas sugestões.


Todo o nosso acervo de jogos está disponível AQUI.

VOLUNTARIADO

Buscamos jogadores experientes tanto de jogos de tabuleiro quanto de RPG para nos auxiliarem a ensinar as regras e a monitorar os jogos. Você pode se envolver com uma frequência a sua escolha. Em todos os casos apresentaremos o projeto aos voluntários e o nosso método de trabalho. 

LOGÍSTICA

A Ludoteca acontece no salão de um pequena igreja do bairro, que gentilmente nos empresta seu espaço.
Para melhorar o nosso trabalho precisamos comprar um armário para guardar os jogos (eles costumam ser levados e trazidos de volta toda semana). Além disso, para 2016 temos o alvo de fornecer um lanche saudável para as crianças e adolescentes, o que irá nos trazer um gasto semanal extra com frutas, sanduíches, etc. 

Ajude a Fazer a Ludoteca Resistência


Em Setembro de 2015 realizamos o primeiro evento no bairro Guarituba, em Piraquara.
Já estávamos instalados na região há um ano e meio com a Ludoteca Resistência, que acontece semanalmente. Nossa vontade em expandir os trabalhos na região culminou na organização de nosso primeiro evento. 
O colégio municipal Rudi Heinrichs gentilmente cedeu o seu espaço para a realização do evento.
Em parceria com as igrejas Menonita Nova Aliança, que emprestou os obstáculos, e a Igreja Evangélica Arca, que cuidou de toda a logística, montamos um espaço para que os skatistas do bairro pudessem praticar suas manobras por uma tarde, já que na região não há nenhuma pista de skate ou local próprio para isso.
Além disso, contamos com a presença de Diego Gaspar, que ensinou os primeiros passos no esporte para os mais corajosos.

Para conferir todas as fotos basta acessar nossa FANPAGE.

Tarde Esportiva - Setembro de 2015

Imagem: Freepik
Para 2016 temos um novo desafio: despertar e incentivar o gosto pela leitura entre as crianças e adolescentes que participam de nosso principal projeto: a Ludoteca Resistência.
Criamos um sistema onde os participantes receberão pontos por participarem da Ludoteca. Eles terão a oportunidade de trocar esses pontos por livros e HQs. Vale lembrar que nada disso terá custo algum para os participantes, sendo tando a Ludoteca quanto as premiações (livros e hqs) responsabilidade da Resistência.

Confira AQUI (facebook) os livros e quadrinhos que temos disponíveis para as crianças e adolescentes da Ludoteca.

Você pode nos ajudar doando algum livro ou HQ. Basta entrar em CONTATO conosco para saber como proceder.

Conheça Nosso Projeto de Incentivo à Leitura


Confira a lista de jogos que utilizamos em nossa Ludoteca. Alguns deles pertencem a própria Resistência. Outros são emprestados eventualmente por seus donos. Esta postagem será atualizada conforme houver alterações em nossa lista.

Lembrando que AQUI existem algumas maneiras de colaborar para o projeto.

JOGOS PRÓPRIOS

A Ilha Proibida
Domínio de Carcassone (versão grow)
Horse Fever
Loot Letter
O Vale Dos Monstros
Tesouro Inca
Timeline: Invenções
We Will Rock You (doado pela Galápagos Jogos)

JOGOS EMPRESTADOS

Ave Caesar
Bang!
Carcassone - Mares do Sul
Citadels
Dixit
Dogs
King of Tokyo
Masmorra de Dados
The Resistance
Zombicide

Nosso Acervo de Jogos


A Resistência existe desde o final de 2010 como um projeto independente. Muita coisa aconteceu desde aquela época: publicamos fanzines de distribuição gratuita, organizamos shows, atendemos a população de rua (sopão, café da manhã e jantares comunitários) e também encaminhamos dependentes químicos para casas de recuperação. 
Foram mais de três anos de muito trabalho no meio underground com iniciativas sociais e culturais, mas as coisas mudaram.
Chegamos a ter uma equipe grande. A maioria não está mais conosco devido e compromissos pessoais (faculdade, emprego, mudança de cidade, etc). Eu fico feliz em dizer que NENHUM de nossos antigos membros nos deixou na mão por irresponsabilidade ou falta de consideração. Tivemos muita sorte com a equipe que passou pela Resistência. Todos estão envolvidos em seus próprios projetos pessoais. Todos são amigos queridos, que fazem parte da pequena história da Resistência.
Devido a redução de equipe que, por coincidência aconteceu num intervalo de três meses, comecei a pensar em como poderia manter o projeto vivo. Eu também estava decidido a mudar a área de atuação do projeto, já que estávamos habituados a atuar em circunstâncias emergenciais. Por causa disso, optei por voltar os trabalhos para a prevenção. Agora eu precisava de um novo projeto.
Um belo dia, no ônibus, eu tive uma ideia. Ela me atingiu em cheio. Quando cheguei em casa, sentei em frente ao computador por horas e escrevi o maior e melhor projeto que já criei em toda a minha vida: a Ludoteca Resistência
Eu estava ansioso para colocá-la em prática, mas havia um novo problema: o local. Eu precisava escolher um bairro e um espaço físico para realizar o novo projeto. Foram meses de muita busca. Apresentei o projeto para várias pessoas. Recebi propostas duvidosas, mas tive paciência. Tudo mudou quando recebi uma ligação de uma antiga parceira. Ela tinha um local e precisava de um projeto. 
Perfeito, pensei. No mesmo dia, tomei três ônibus para chegar até o local e conhecer a região. Era exatamente o que eu buscava. Meses depois, após duas reuniões importantes, o projeto começava a funcionar. Até hoje está em atividade.
No momento, a Resistência possui uma proposta de prevenção muito forte em seus projetos. Gostamos de trabalhos sociais e culturais. Acreditamos no potencial das duas coisas. 
Não podemos salvar o mundo, mas não precisamos ser como ele. Com essa frase em mente eu criava o princípio mais forte da Resistência: se pudermos convencer algumas pessoas a não se deixar levar pelas injustiças ou crueldades do mundo, então teremos feito o nosso trabalho.
E assim, meus amigos, eu vos apresento a nova Resistência.

Novo Site, Nova Resistência