Novo Site, Nova Resistência


A Resistência existe desde o final de 2010 como um projeto independente. Muita coisa aconteceu desde aquela época: publicamos fanzines de distribuição gratuita, organizamos shows, atendemos a população de rua (sopão, café da manhã e jantares comunitários) e também encaminhamos dependentes químicos para casas de recuperação. 
Foram mais de três anos de muito trabalho no meio underground com iniciativas sociais e culturais, mas as coisas mudaram.
Chegamos a ter uma equipe grande. A maioria não está mais conosco devido e compromissos pessoais (faculdade, emprego, mudança de cidade, etc). Eu fico feliz em dizer que NENHUM de nossos antigos membros nos deixou na mão por irresponsabilidade ou falta de consideração. Tivemos muita sorte com a equipe que passou pela Resistência. Todos estão envolvidos em seus próprios projetos pessoais. Todos são amigos queridos, que fazem parte da pequena história da Resistência.
Devido a redução de equipe que, por coincidência aconteceu num intervalo de três meses, comecei a pensar em como poderia manter o projeto vivo. Eu também estava decidido a mudar a área de atuação do projeto, já que estávamos habituados a atuar em circunstâncias emergenciais. Por causa disso, optei por voltar os trabalhos para a prevenção. Agora eu precisava de um novo projeto.
Um belo dia, no ônibus, eu tive uma ideia. Ela me atingiu em cheio. Quando cheguei em casa, sentei em frente ao computador por horas e escrevi o maior e melhor projeto que já criei em toda a minha vida: a Ludoteca Resistência
Eu estava ansioso para colocá-la em prática, mas havia um novo problema: o local. Eu precisava escolher um bairro e um espaço físico para realizar o novo projeto. Foram meses de muita busca. Apresentei o projeto para várias pessoas. Recebi propostas duvidosas, mas tive paciência. Tudo mudou quando recebi uma ligação de uma antiga parceira. Ela tinha um local e precisava de um projeto. 
Perfeito, pensei. No mesmo dia, tomei três ônibus para chegar até o local e conhecer a região. Era exatamente o que eu buscava. Meses depois, após duas reuniões importantes, o projeto começava a funcionar. Até hoje está em atividade.
No momento, a Resistência possui uma proposta de prevenção muito forte em seus projetos. Gostamos de trabalhos sociais e culturais. Acreditamos no potencial das duas coisas. 
Não podemos salvar o mundo, mas não precisamos ser como ele. Com essa frase em mente eu criava o princípio mais forte da Resistência: se pudermos convencer algumas pessoas a não se deixar levar pelas injustiças ou crueldades do mundo, então teremos feito o nosso trabalho.
E assim, meus amigos, eu vos apresento a nova Resistência.

Nenhum comentário

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Gostaríamos de saber sua opinião. Comente :)